sábado, 3 de novembro de 2012

Dentro

dentro de mim mora uma dor
fina, persistente e calada
eu caminho os caminhos
vivo as histórias
invento todos os dias grandes motivos para cantar
mas dentro
bem dentro de mim habita uma dor
fina
ancestral
e calada

8 comentários:

  1. Eu gostaria de ter escrito este poema, de tanto que ele se parece comigo. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu também gostaria de tanto que ele se parece também comigo!!

    beijoss

    ResponderExcluir
  3. Lidi e Bípede, daqui por diante, eu o dedico a vocês duas sempre. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Ah, vou ter que dizer o mesmo: eu gostaria de ter escrito o poema, porque sinto exatamente isso!
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então dedico a você também, Tânia. Obrigada. Bjs

      Excluir